sábado, 18 de setembro de 2010

"Síndrome do Corredor"


 O crescimento do número de adeptos mostra que a corrida é um esporte cheio de benefícios, como a manutenção do peso, auto-estima elevada, melhor rendimento cardiovascular, entre outros. Além disso, quem corre também já sabe que uma dorzinha aqui, outra acolá, está sempre rondando o corpo dos praticantes. O  joelho é responsável pela metade das lesões que acontecem na corrida. Isso por conta do impacto que a atividade produz. 

O joelho é a maior articulação do corpo e apresenta uma grande amplitude de movimentos. Por conta da sua anatomia complexa e da sua vulnerabilidade, é a articulação mais fácil de lesionar, diferentemente do quadril, por exemplo, que é protegido por grandes músculos. As principais estruturas do joelho são ligamentos, meniscos, cartilagem e osso. Assim, os problemas que um corredor pode ter estão relacionados a todas essas estruturas.

Há quem acredite que a melhora de seu desempenho durante a corrida esteja associada à necessidade de "sofrer".  Na verdade, sentir dor é sinal de que alguma coisa está errada e a presença desse incômodo pode, justamente, ser o fator determinante para não alcançar melhores marcas. E insistir no esforço pode causar lesões mais graves.

O problema mais comum é a "síndrome do corredor". Na face lateral, na parte de fora do joelho, devido ao atrito entre uma membrana e a estrutura óssea do joelho, o corredor pode sentir uma dor forte, depois de correr os primeiros quatro ou cinco quilômetros. Essa dor faz com que ele tenha que parar de correr; a dor desaparece, mas volta na corrida seguinte. É um problema simples, que se resolve com fisioterapia, mas precisa ser cuidado, pois, do contrário, pode evoluir para lesões mais sérias.

Dicas para prevenir a síndrome do corredor

- Os treinos devem ser orientados por um profissional para que se possa dosar a intensidade adequada;
- Escolha um tênis apropriado para corrida e de uma marca idônea. É fundamental usar um tênis que garanta uma boa estabilidade, para não agravar a tendência a pisar para fora ou para dentro;
- Cuidado com o piso do chão, evite piso muito rígido como o asfalto ou irregular; o ideal é correr na terra ou na grama porque amortece um pouco o impacto;
- Consulte um ortopedista, para checar a necessidade de algum tipo de inserção especial como calcanheiras ou até uma palmilha inteira para o tênis;
- Faça um aquecimento prévio e a prática regular de alongamentos;
- Evite treino em ladeiras e curvas fechadas.

Tratamento da lesão
- Sempre que surgir uma lesão deve-se reduzir a carga de treinos e procurar um profissional habilitado que lhe orientará no tratamento;
- Pratique formas alternativas de treinamento para não perder o condicionamento cardiorespiratório; como por exemplo a bicicleta de ombro.

- Não faça subidas em escadas durante a reabilitação;
- Adotar sempre o principio de repouso e aplicação de gelo.

Não havendo melhora satisfatória, deve-se procurar um fisoterapeuta, médico ortopedista ou do esporte.

Outras leituras:
Noispedala
Ativo
Fisioterapia Desportiva
PodCorrer
MundoTRI

Um comentário:

Xampa disse...

Hehehe, já fui agraciado com essa dorzinha. Banda Iliotibial.
De férias, ano passado, fui dar um treino de 30 minutos.
Fiquei dias com a dor. Dá uma impressão que nunca ficaremos bom de novo.

Sign by Danasoft - Get Your Free Sign

Sign by Danasoft - Get Your Free Sign